Tabernáculo de Moisés precisava ser construído comprecisão, porque era uma cópia do Tabernáculo celestial. Tudo objetivava o futuro porque apontava para o tipo perfeito do Tabernáculo que era Jesus. Todos os elementos para construção tipificavam o Tabernáculo futuro. Tudo tinha de ser feito conforme as instruções divinas, indicando que a obra de Deus não deve ser feita relaxadamente.

SAIBA MAIS:
Lições Bíblicas 2° Trimestre de 2019, Adultos – CPADClique Aqui

Nos capítulos anteriores, o Senhor havia dado a Moisés as instruções sobre como construir o Tabernáculo e todo o seu mobiliário. Entretanto, para a execução de obras especiais que envolviam habilidades para trabalhar com metais, madeira e produtos vegetais, requeriam-se pessoas altamente preparadas.

Deus escolheu um homem de nome Bezalel, que, além de toda a habilidade que possuía para trabalhar todos os materiais disponíveis com arte, foi concedida a ele inteligência artificiosa e inventiva para fazer tudo conforme o desejo de Deus. O Senhor escolheu ainda mais um homem, tão habilidoso quanto, para auxiliar a Bezalel na construção de todas as peças do Tabernáculo.

I. Homens Especiais para Serviços Especiais

Bezalel e Aoliabe, Homens Chamados por Deus (Êx 31.2,6) Sob o comando principal de Moisés, o Senhor orientou a escolha de dois homens habilidosos que fariam todas as peças do Tabernáculo conforme o modelo (ou desenho) que o próprio Deus concedeu a Moisés. O principal deles era Bezalel, da tribo de Judá, e o outro para auxiliá-lo era Aoliabe, da tribo de Dã (Êx 31.2,6). Ambos tinham qualificações profissionais para trabalharem em ouro, prata, cobre ou bronze, em madeira e peles.

1. O Método Divino ainda É o mesmo

Deus ainda chama e convoca pessoas especiais para realizar a sua obra na terra. Para a vida da Igreja, muitos trabalhos requerem habilidades especiais, e o Espírito Santo habilita e concede dons para as muitas atividades eclesiásticas não só no campo espiritual, como também em áreas administrativas, áreas artísticas, áreas sociais e outras atividades (1 Co 12.4-6). Ainda que os dons não dependam de habilidades naturais, o Senhor pode chamar pessoas que tenham habilidades especiais para realizarem as muitas atividades e serviços da vida eclesiástica. Ele, entretanto, não depende das habilidades humanas para a realização de obras especiais em sua Igreja.

O apóstolo Paulo relaciona uma diversidade de dons relacionados ao serviço cristão, e o Espírito Santo seleciona pessoas para os vários serviços na igreja, do mesmo modo como houve escolha para a construção do Tabernáculo.

1. No Novo Testamento, Temos os Dons Relacionados com o Serviço Cristão (Rm 12.4-8; 1 Co 12.8-10,28)

Os serviços na Igreja envolvem todas aquelas atividades espirituais e materiais que são efetivados para a manutenção da comunhão cristã entre os irmãos, bem como para a manutenção da ordem dos ingredientes materiais da organização da Igreja. Há uma diversidade de dons espirituais que envolvem artes no campo musical, no campo gráfico, no campo social, etc.

II. Cheios do Espírito, Sabedoria, Entendimento e Ciência (Êx 31.3-5)

Cheios do Espírito de Deus para Realizar a Obra Ao escolher Bezalel e Aoliabe, Deus investiu em suas vidas para que os mesmos fossem inspirados e inventivos para fazerem cada peça do Tabernáculo. Toda a criatividade de Be-zalel e Aoliabe obedeceria ao plano original de Deus entregue a Moisés. Nada poderia ser feito ao bel-prazer, mas, sim, de acordo com o plano original. Moisés teve a garantia de que aqueles dois homens e todos os demais que os ajudariam nas várias atividades seriam cheios do Espírito de Deus (Êx 31.3). Essa concessão seria manifestada em sabedoria, entendimento e ciência para a realização de todas as atividades que envolviam habilidades com metais, madeiras e peles. Todas as peças fabricadas para o Tabernáculo tinham significados especiais. Esse era o modo de Deus fazer conhecida a sua vontade e o seu desejo de habitar com o povo de Israel. Toda a simbologia constitui-se figura de representação da realidade espiritual. Para o ministério cristão, o requisito para a obra de Deus ser feita é ser cheio do Espírito Santo (ver Ef 5.18).

1. A Prerrogativa de Deus (Êx 31.1,2)
É prerrogativa de Deus o direito de chamar quem Ele quiser. Quando Ele chama, assim o faz por nome, como fez com Moisés, Bezalel e Aoliabe. Deus é Soberano e conhece particularmente cada pessoa no mundo. Na Igreja, o método divino é o mesmo. Para o serviço do Tabernáculo, o Senhor escolheu aqueles que tinham habilidade para fazer determinada obra e encheu-os de conhecimento e ciência. Quando Jesus escolheu seus discípulos, Pedro foi especialmente escolhido para trabalhar com os judeus; mais tarde, Paulo foi escolhido para evangelizar os gentios.

Para tornar suas habilidades ainda mais precisas, Bezalel e Aoliabe tiveram a provisão de Deus, que lhes concedeu sabedoria e ciência. Na Igreja, Deus tem concedido dons a pessoas que são investidas de sabedoria para edificarem espiritual, moral e doutrinariamente o corpo de Cristo. Os ministros de Deus tornam-se sábios arquitetos e construtores da Igreja de Deus (ver 1 Co 3.9).

III.   Usando os Talentos para a Glória de Deus
Os Talentos (Habilidades) de Bezalel e Aoliabe (Êx 31.1-6) Bezalel fora especialmente escolhido por Deus por ser um artesão altamente profissional e por saber trabalhar com ouro, prata e cobre, além de outros materiais como madeira e pele. Bezalel sabia lavrar esses metais com esmero, bem como madeira para a confecção das peças sob medida que seriam utilizadas no Tabernáculo. Ele e Aoliabe estariam submetidos às revelações de Deus para a confecção das peças que envolviam os altares, as colunas e as cortinas com suas cores. Como escultores, artesãos, carpinteiros e marceneiros, Bezalel e Aoliabe eram especialistas, e tudo quanto fizeram no Tabernáculo, independentemente da estrutura, da estética e da beleza de seus trabalhos, eram feitos para a glória de Deus. Seus talentos pessoais seriam efetivados com a supervisão de uma equipe de obreiros qualificados para moldarem os muitos objetos sagrados com ouro, prata e cobre, e até mesmo os vestidos dos sacerdotes, que eram usados nas ministrações sacerdotais no culto do Tabernáculo, seriam lavrados com pedras preciosas.

1. Os Talentos Revelados na Igreja (Mt 25.14-30)
A parábola de Jesus sobre os talentos envolvia a história de um homem rico que, precisando viajar e ausentar-se da sua terra, resolveu distribuir responsabilidades de negociação com os seus servos. Mateus utilizou o termo grego talanton, que significa “talento”, e referia-se a uma moeda de alto valor. O homem da parábola distribuiu os talentos aos seus servos de acordo com a capacidade de cada um deles para negociar com aqueles talentos, que podem representar qualidades naturais e graças espirituais que qualificam pessoas a realizarem determinados serviços para o Reino de Deus. Cada crente é dotado de algum talento com o qual poderá trabalhar para o Senhor Jesus e receber a devida recompensa pelo seu trabalho. Esses talentos podem representar “dons” concedidos pelo Espírito Santo, tanto em relação a talentos naturais quanto a talentos espirituais, os quais são identificados pelas habilidades úteis para os serviços da Igreja de Cristo.

IV. A Diferença entre Talentos Naturais e Dons Sobrenaturais

1. Nascemos com Capacidades e Talentos Naturais
À semelhança de Bezalel e Aoliabe, que possuíam talentos naturais para trabalhar com ouro, prata, bronze, madeira e outros elementos da natureza, Yahweh escolheu-os por essas habilidades e concedeu a eles capacidades sobrenaturais para realizarem as obras de arte do Tabernáculo. Entretanto, considerando apenas as habilidades naturais que uma pessoa pode ter, entendemos que esses elementos são responsáveis pela facilidade para realizar alguns trabalhos. Geralmente, essas pessoas revelam uma inclinação ou predileção para esses afazeres. Esses talentos manifestam-se com habilidades manuais, com habilidades de raciocínio lógico, com habilidades musicais e tantas outras habilidades que se manifestam no campo dos esportes, das ciências e da comunicação. Essas habilidades de berço não deixam de vir da parte de Deus, mas, na verdade, são infundidas na pessoa, às vezes por transmissão genética. É interessante perceber na história de cada família o fator genético que se revela com as inclinações para as ciências exatas, para as artes, para as ciências da medicina e outras mais. Esses talentos naturais, quando utilizados para o bem, glorificam a Deus.

2. Existem os Dons Sobrenaturais Concedidos pelo Criador
Não temos dúvidas de que tanto os dons naturais quanto os sobrenaturais são dádivas de Deus. Ambos crescem em efetividade com o seu uso e são prazerosos tanto individual quanto coletivamente. Os dons sobrenaturais não podem ser confundidos com os naturais. Deus, através do Espírito Santo, concedeu os dons sobrenaturais para fortalecer a Igreja de Cristo (1 Co 12.8-10; Ef 4.11).

Há, pelo menos, três listas de dons espirituais. A primeira lista em destaque aparece em Romanos 12.3-8, e Paulo dá destaque à profecia, aos serviços especiais, ao ensino, à exortação, à liderança, ao socorro ou usar de misericórdia. Uma segunda lista de dons espirituais aparece em 1 Coríntios 12.8-11, e são identificados como palavra da sabedoria, palavra de conhecimento, fé, operação de milagres, profecia, discernimento de espíritos, línguas espirituais e interpretação de línguas espirituais. A terceira lista que temos no NT está em Efésios 4.10-12, com dons espirituais identificados para os ofícios ministeriais da igreja, como apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores.

3. A Diferença entre um Dom Natural e um Dom Sobrenatural
As igrejas cessacionistas entendem que os dons espirituais foram necessários para a igreja do primeiro século; para a igreja atual, esses dons manifestam-se através dos dons naturais. Entretanto, nós, pentecostais, cremos na atualidade da manifestação dos dons espirituais. Entendemos que um talento (dom) natural é fruto de genética ou treinamento, enquanto que um dom espiritual é uma concessão do Espírito Santo. Qualquer pessoa, seja ela cristã ou não, pode possuir algum talento natural, enquanto que um cristão pode possuir um dom espiritual por concessão do Espírito Santo.

Temos o exemplo de Davi, o pastor de ovelhas e, posteriormente, rei de Israel, que tinha o dom natural para a poesia, música e até mesmo para a guerra (1 Sm 16.18). Os salmos da Bíblia são, na maioria, da autoria de Davi. Mais tarde, o seu filho Salomão destacou-se em sabedoria, a qual pediu a Deus. Ele, independentemente de capacidade natural, recebeu de Deus sabedoria do Alto e foi um dos mais sábios da terra (1 Rs 3.5-15).

Portanto, os dons naturais e os dons sobrenaturais podem ser usados para a glória de Deus. Sabemos, entretanto, que as finalidades são distintas. Os dons naturais servem para objetivos humanos, enquanto que os sobrenaturais são completamente para os serviços espirituais.

No Reino de Deus, muitas habilidades poderão ser utilizadas não só em atividades de caráter espiritual, como também em atividades sociais, educacionais e materiais. Quantos templos têm sido construídos por pessoas dotadas de talentos especiais para esse trabalho. A recompensa dos que dão o melhor de suas forças será dada aos que forem fiéis e fizerem toda a obra com esmero e amor.
Publicação: www.escolabiblicaecb.com | Artigo: Pr. Elianai Cabral

Blog ECB - Estudos Bíblicos

 
Top