🎯
Em 1 Coríntios 10.14, Paulo ordena aos crentes fugir da idolatria e esta é apresentada em Gálatas 5.20 como obra da carne, e em Colossenses 3.5 como fruto da natureza terrena.
A idolatria é e sempre foi um instrumento muito forte de Satanás para separar e afastar o ser humano de Deus. A idolatria começou a ser praticada em um período muito remoto da história do homem. Ela era praticada, por exemplo, pela parentela de Abraão (Js 24.2) e por Labão (Gn 31.30,32-35). Os egípcios fabricavam ídolos com figura de deuses para serem adorados. O povo de Deus que conquistou a terra de Canaã foi proibido de adorar ídolos (Ex 23.24). Israel recebeu ordem de Deus para destruí-los (Ex 34.13; Nm 33.52 e Dt 7.5).

1. O Conceito de Idolatria

O termo idolatria em grego é eidololatria ou eidololatreia. A expressão é a junção das palavras eidolon, ídolo, e latreia, serviço, que quer dizer “serviço a ídolos”, isto é, prestação de serviços idólatras (1 Co 10.14; Gl 5.20 e Cl 3.5). Em 1 Coríntios 10.14, Paulo ordena aos crentes fugir da idolatria e esta é apresentada em Gálatas 5.20 como obra da carne, e em Colossenses 3.5 como fruto da natureza terrena.

É importante observar que a palavra grega latreuo é usada no sentido de servir, prestar homenagem religiosa ou culta religioso a Deus, sendo, portanto, uma forma de adoração. Sendo assim, o termo eidololatria (serviço ao ídolo) é a pratica de adoração a ídolos. A palavra grega proskuneo (adorar) é formada de (para) e kuneo (beijar). Por isso que os idólatras desde os tempos primitivos se inclinam e beijam os pés dos ídolos. Isso pode ser visto hoje, por exemplo, na idolatria papal, na qual os fiéis da Igreja Católica Romana se dobram e beijam os pés ou mãos do papa.

CURSOS BÍBLICOS PARA VOCÊ:

1) CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA Clique Aqui
2) CURSO MÉDIO EM TEOLOGIAClique Aqui
3) Curso de Secretariado para Igrejas Clique Aqui
4) Formação de Professores da Escola Dominical Clique Aqui
5) CURSO OBREIRO APROVADO - Clique Aqui
Matricule-se já ! 


2. O que ensina o Novo Testamento sobre a Idolatria?

No Novo Testamento, a palavra grega mataios (vão ou nada) é um termo usado por Paulo em Atos 14.15 e traduzido por vaidade, enfocando a prática idolátrica que não traz nenhum resultado. Essa palavra corresponde à palavra hebraica e/z7 (ídolo, deuses, nada, vaidade). Em Levítico 26.1, o termo aparece no plural como elilím (deuses), que é parecido com o termo elôhim (Deus, no plural - SI 96.5). O que fica claro é que a idolatria está associada à adoração pagã. Os sacrifícios a ídolos são, na verdade, oferecidos a demônios (1 Co 10.19-20).

👉Em resumo, o idólatra é aquele que serve ou presta serviço ou culto a ídolo. Ídolo (fantasma ou semelhança, derivado de eidos, significando “aparência”) é literalmente aquilo que é visto. A imagem, nesse caso, representa um falso deus (At 7.41; 1Co 12.2 e Ap 9.20). É o falso deus adorado numa imagem (At 15.20; Rm. 2.22 e 1 Co 8.4,7).

A Bíblia diz que certa vez Arão fabricou um bezerro de ouro e o povo adorou aquele ídolo. Isso dá a entender que o povo precisava ver alguma coisa para crer, mesmo sendo um objeto inanimado. Isso contrasta com os ensinos de Jesus à mulher samaritana de que “os verdadeiros adoradores adoram o Pai em espírito e em verdade” (Jo 4.23-24).

Prestar serviço a ídolos era ato em vão, sem proveito, vaidade, futilidade (Jr 14.22 e 18.15). Será que, de alguma forma, alguns cristãos de hoje não estão enquadrados na idolatria, servindo ao nada, prestando um serviço (latreia) a alguma coisa imaginária, fútil, e deitando de prestar um serviço de adoração espiritual ao verdadeiro Deus, adorando a criatura ao invés do Criador?

Percebemos que, nos tempos modernos, a idolatria se sofisticou. Hoje, se adora pirâmides, cristais e até plantas. Já ouviram falar do “Santo Daime”, no qual os adoradores tomam um chá e entram em transe? Até o computador, a internet, através de seus muitos programas, se tomou instrumento de adoração. Uma verdadeira idolatria.

O que percebemos é que a idolatria, desde os tempos mais antigos até os nossos dias, tem sido uma arma de Satanás para afastar o homem do verdadeiro Deus. O afastar-se de Deus se manifestou quando a igreja, a partir do século quarto, se tomou vítima da influência pagã, iniciando esse processo lamentável de paganização da igreja cristã. Daí veio a mariolatria, a adoração ao papa e a imagens diversas.

E por que não dizer da sutil idolatria dentro das igrejas, onde se adora cantores, principalmente os roqueiros, com multidões gritando histericamente. Também muitos pregadores acabam se tornando ídolos. É a criatura tomando o lugar do Criador.

Vemos também isso com bastante tristeza em muitas igrejas ditas evangélicas, principalmente as neopentecostais, que mercantilizam o sagrado de uma forma tão banal que acabam substituindo o divino pela coisa. É a coisificação do divino. É a repetição do bezerro de ouro de Arão, Arão fez aquilo para agradar o povo. O povo queria e ele fez. E assim que funciona nesses movimentos. Se vende pedaço da cruz de Cristo, areia e água do Rio Jordão, óleo de Israel, pedaço do Monte Hermom, sal grosso, fio de escarlate, pão ungido e muitas outras coisas. O que é isso, senão idolatria? Estamos vivendo o tempo da moderna idolatria.

Tudo que substitui a adoração a Deus ou que desvia o homem da adoração verdadeira, levando essa adoração para qualquer coisa, objeto, pessoa ou coisa semelhante, pode ser visto como idolatria.

👉Disse Jesus: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, Jo 8.32. Ensinar a verdade às pessoas é o dever do povo de Deus. Nossa tarefa é arrancar as pessoas das trevas para a luz.
Precisamos também orar muito pelo nosso país, pois é uma grande vítima da idolatria. Mais de 6 milhões de pessoas visitam a cidade de Aparecida em São Paulo anualmente. Na Bahia, só a cidade de Bom Jesus da Lapa recebe mais de 500 mil pessoas em romaria todos os anos. Na cidade de Salvador, existe um sincretismo tremendo: é a mistura de orixás com “santos” da Igreja Católica Romana etc. E o Sírio de Nazaré? E todos os focos de idolatria espalhados pelo nosso país? Todas as cidades do Brasil têm um “padroeiro”. Este representa a ação diabólica e maldição contra as nossas cidades. Por tudo isso, oremos pelo nosso país.

Combatamos também com firmeza qualquer coisa que tente infiltrar o princípio idolátrico em nosso meio. Toda idolatria no meio do povo de Deus deve ser combatida, ensinando o povo a adorar somente a Deus. Que os nossos cultos e nossas vidas sejam instrumentos de adoração ao nosso Deus.
 
Top