“Quem são, precisamente, os anjos maus, quais são alguns conceitos falsos acerca deles, e que poderes possuem”?

De acordo com a Bíblia, os anjos malignos são espíritos moralmente corruptos, que estão rebelados contra Deus (Salmo 106.37; João 8.44; 2 Pedro 2.4; Tiago 2.19; Judas 6). A rebelião deles foi instituída debaixo da liderança de Satanás (Judas 6; 1 João 3.8; Mateus 12,24,25; 25.41; Ezequiel 28.12-17) e resultou na expulsão deles do céu (Lucas 10.18; conferir com Apocalipse 12.7-9). Como resultado disso, eles se tornaram criaturas destrutivas e egocêntricas, que buscam frustrar os propósitos de Deus e de Cristo (Deuteronômio 32.17; Salmo 106.37; Apocalipse 2.10; 1 Pedro 5.8; Efésios 6.11; Mateus 13.39; Lucas 22.31; 1 Tessalonicenses 2.18; 1 Timóteo 4.1; Marcos 3.11; 4.15).

1. Objetivo dos demônios

Uma das preocupações principais dos demônios é enga­nar as pessoas através de religiões falsas e/ou falsos mi­lagres e, com isso, conseguir cegá-las para a verdade es­piritual (2 Coríntios 4.4; Atos 26.18; 2 Coríntios 11.14; 2 Tessalonicenses 2.9,10; Apocalipse 16.14; 20.10).

2. O destino dos demônios

Os demônios estão afixados eternamente em seu com­portamento, conhecem seu destino eterno e não têm oportunidade de redenção. Assim sendo, serão lançados para sempre no lago de fogo (Mateus 25.41; Apocalipse 20.2,3,7-10). Esse parece ser o motivo pelo qual eles reagiram a Jesus com medo e escárnio, dizendo: "Que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo?" (Marcos 5.7; conferir com Lucas 4.41) e "Que temos nós contigo, ó Filho de Deus? vieste aqui atormen­tar-nos antes de tempo?" (Mateus 8.29).
Veja também:
1) Dois endemoninhados de GadaraClique Aqui
2) O Pode de Jesus sobre o reino das TrevasClique Aqui

3) Cristologia - A Doutrina de CristoClique Aqui
3. O que não são os demônios

Os demônios não são espíritos de seres humanos faleci­dos ou de uma raça pré-adâmica, como querem alguns, pois os espíritos de seres humanos mortos não estão li­vres para vagar (Lucas 16.19-31; 2 Pedro 2.9). Não são, tampouco, meras personificações do mal ou das forças naturais (tais como os "deuses" da natureza), como que­rem os céticos. Os demônios também não são a desig­nação supersticiosa de doenças naturais específicas, tais como a epilepsia ou a doença mental. As Escrituras fa­zem uma distinção bastante clara entre essas doenças e a possessão demoníaca, embora seja possível que am­bas possam se fazer presentes ou que uma possessão demoníaca possa incluir doença mental.

4. Poderes e Habilidades

Se fôssemos catalogar os poderes e habilidades dos an­jos que a Bíblia alista, ganharíamos um vislumbre das capacitações que possuem, e assim também discerniría­mos as habilidades dos demônios como sendo de anjos corrompidos.
 
Precisamos, entretanto, jamais nos esque­cer de que os demônios, em última análise, são criatu­ras refreadas pelo poder e pelo propósito soberanos de Deus. Quando necessário, o crente possui poder sobre eles (1 João 4.4; Tiago 4.7) porque o próprio Cristo ob­teve vitória sobre Satanás na cruz (Hebreus 2.14; Co­lossenses 2.15; João 12.31). Jesus provou ter poder completo sobre os demônios (Mateus 12.28; Marcos 1.34), com frequência os expulsou de pessoas (Mateus 8.31; 15.22-28), e ordenou a Seus discípulos que fizes­sem o mesmo (Marcos 6.13; Mateus 10.1; Lucas 10.17).

5. Atividades dos demônios

A listagem relativa ao poderio demoníaco que a Bíblia relata é surpreendentemente relacionada ao que os de­mônios fazem nos dias de hoje. Por exemplo, como documentamos detalhadamente em The Corning Dark-ness (As Trevas Que Se Aproximam) e em outros li­vros, os anjos malignos (demônios) imitam os bons an­jos e expressam grande preocupação com o bem-estar das pessoas; eles também proporcionam visões e reve­lações falsas através de sonhos ou através de canaliza­ção, psicografia, etc.

Eles conseguem possuir as pes­soas, realizar vários tipos de milagres, gerar insanida­de, ou cometer homicídios. São capazes de causar vá­rios tipos de indisposições físicas, doenças ou tormentos. Eles podem prever o futuro, incentivar prá­ticas ocultistas, e manipular a mente humana incutin­do nela pensamentos, ideias ou imagens. Eles conse­guem influenciar a natureza. Eles buscam ser adora­dos, procuram perverter os caminhos de Deus, e podem assumir qualquer forma física que desejarem, seja de adulto ou de criança, de animal ou de criatura mitoló­gica. Em suma, no fim das contas, eles destroem a vi­da das pessoas.


Divulgação: www.escolabiblicaecb.com | Artigo: John Ankerberg e John Weldon

Blog ECB - Estudos Bíblicos

 
Top