As verdades teológicas são extraídas da Santa Bíblia. “Fazer teologia”, não é inventar teorias a respeito de Deus e de Suas obras, nem mesmo “descobrir” a Deus, mas conhecer e compreender a revelação que Ele próprio deu de Si.

Por isso, qualquer estudo de Deus que não tiver a Sua revelação como base, meio e princípio regulador não é “teologia”, devidamente entendida. Teologia é o conjunto de verdades extraídas dos ensinos bíblicos a respeito de Deus e de Sua obra.
RAZÕES PARA O ESTUDO DA TEOLOGIA

Primeiro, a teologia ajuda o crente no conhecimento de Deus. O alvo de todo o cristão deve ser ficar cheio do pleno conhecimento de Deus e sua vontade, para que possa viver de maneira digna do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda a boa obra, fortalecido com todo o vigor (Cl 1.9-10).

A teologia é a explicação coerente do conteúdo e do significado do que Deus revelou de si mesmo e de seus propósitos. Logo, o estudo da teologia ajuda o crente no conhecimento de Deus e, por conseguinte, no desenvolvimento da vida cristã. Pedro saúda seus leitores dizendo: “graça e paz vos sejam multiplicadas pelo pleno conhecimento de Deus e de Jesus nosso Senhor” (2 Pe 1.2). O crescimento na graça de Deus, ou o desenvolvimento da vida espiritual está atrelado ao pleno conhecimento de Deus.

Segundo, a teologia satisfaz a mente humana. É da natureza do ser humano querer entender aquilo que ele crê ser de relevância vital, como é o caso da religião. Se a teologia é a sistematização dos princípios, das doutrinas, das verdades básicas da religião que professamos, então, ela é indispensável para que tenhamos um conhecimento técnico e teórico daquilo que aceitamos e reputamos como sendo de absoluto valor para a existência. Não podemos separar os aspectos práticos da vida cristã dos aspectos teóricos. A vida humana requer esse lastro teórico em que repousa nossa atitude e ação.

Terceiro, o estudo da teologia é uma expressão de amor e obediência a Deus. Nosso dever é amar a Deus “de todo o coração, de toda a alma e de todo o entendimento” (Mt 22.37). No estudo da teologia nós expressamos um pouco desse amor todo envolvente a Deus. Bruce Milne diz que “o estudo da doutrina é uma expressão de amor ao Senhor através de nossas mentes”. Cristo manda que ensinemos os crentes a “obedecer a todas as coisas” que ele ordenou (Mt 28.20), e isto demanda estudo, compreensão e exposição da Palavra de Deus: teologia, portanto.

Quarto, a teologia contribui para a pureza e defesa do cristianismo. Na sua caminhada histórica, o cristianismo está sujeito a ataques e contaminações de superstições, imoralidades, pensamentos filosóficos, científicos ou religiosos que lhe são contrários. Uma teologia bem fundamentada na Bíblia é necessária para combater esses ataques e preservar a verdade cristã. O cristão tem o dever de denunciar o falso ensino e defender a verdade (1 Tm 1.3,4; 3.15; Hb13. 9; 2 Jo 9,10).

Quinto, a teologia auxilia na propagação do evangelho. Para se propagar o evangelho na sua inteireza é necessário ter alguma compreensão inteligente do seu conteúdo e significado e ser capaz de dar uma explicação inteligível da verdade a outrem. Sem uma base doutrinária segura e firme, um lastro teológico bem fundado, a igreja perde sua capacidade militante.

A teologia é uma arma poderosa no ministério (Tt 1.9). Lloyd Jones afirma que “não há nada mais importante para um pregador do que ter uma teologia sistemática, conhecê-la e ser bem versado nela”, e que “Cada mensagem que brota de um texto em particular ou de uma afirmativa das Escrituras, deve ser sempre uma parte ou aspecto desse corpo total de verdade”.

Sexto, a teologia fundamenta a prática cristã. A doutrina é o conteúdo da fé e a base de toda a prática cristã. Em suas epístolas, o apóstolo Paulo, normalmente, antes de apelar para a prática da fé, oferece primeiro uma explicação doutrinária da verdade. O autor de Hebreus também intercala várias sessões de encorajamento e exortação após cada longa exposição doutrinária. A exposição da verdade (teologia) fundamenta e encoraja a prática da fé. Quanto mais conhecemos a verdade, tanto mais entusiasmo vamos ter por ela, e mais comprometidos com ela ficamos.

Estudar teologia é estudar a bíblia de forma organizada. Temos muitos motivos para estudar a bíblia:


1. Ela é o único manual do crente para vida cristã.
O crente foi salvo para servir ao Senhor (Ef 2.10; 1 Pe 2.9). Desta forma, sendo a Bíblia o manual de Deus para as nossas vidas é indispensável que aquele que o serve a conheça muito bem (2 Tm 2.15).

2. Ela alimenta nossa alma (Jr 15.16; Mt 4:4; 1 Pe 2.2).
Não há dúvida que a Palavra de Deus traz nutrição e crescimento espiritual;

3. Ela é o instrumento que o Espírito Santo usa (Ef 6.17).
Se conhecermos bem a palavra de Deus, na hora que precisarmos o Espírito de Deus nos instrui segundo a palavra de Deus que habita em nosso coração e mente;

4. Ela enriquece espiritualmente a vida cristã (Salmo 119.72).

5. É dever dos seguidores de Cristo Crescer na graça e conhecimento (2 Pe 3.18). Como crescer no conhecimento de Cristo sem estudar a bíblia?

6. Jesus nos convidou a apreender Dele (Mt 11.29).
Só podemos aprender de Jesus, de forma clara e verdadeira a través das palavras escritas no Santo livro – a bíblia sagrada.

7. Ela nos dar direção (Sl 119.105).

8. Ela ordena a nossa vida (Sl 119.133).

O crente que não gosta de Estudar a Teologia Cristã é certamente alguém que não gosta de conhecer a Deus e a sua Palavra ou é no mínimo um ignorante, pois desconhece o verdadeiro significado do temo teologia.

QUAL DEVE SER O PERFIL DO CRENTE QUE ESTUDOU TEOLOGIA?

O verdadeiro perfil de quem estudou e REALMENTE aprendeu teologia é o seguinte:

1) Não aceita de imediato tudo que escuta, antes, porém, ele verifica se o que ele ouviu é de fato verdadeiro ou tem apenas meia verdade.
2) Não se deixa ser enganado pelas falsas doutrinas.
3) É mais seletivo.
Não gosta perder o seu tempo com os chavões e mensagens sem fundamentos bíblicos.
4) Ama mais a Deus.
5) É um defensor da Palavra e Deus.
6) É preparado para responder perguntas sobre a sua fé.
7) Sabe diferenciar o crente preguiçoso do crente dedicado.
 O preguiçoso é superficial. Já o crente dedicado tem mais conteúdo bíblico.
8) Não sabe tudo, mas está sempre conhecendo e prosseguindo em conhecer o seu Deus.
9) Procura crescer na vida cristã de forma equilibrada.
Ou seja, está buscando o crescimento na seguinte ordem: Crescer na graça e conhecimento.
10) É humilde e não pensa ser o dono da verdade.

O verdadeiro teólogo tem este perfil. Um teólogo sem o perfil a cima citado é qualquer coisa, menos um teólogo de verdade.

ESTUDE: Curso Médio em Teologia - Acesse Aqui

Blog ECB - Estudos Bíblicos

 
Top